Notícia publicada às 17:00:21 - 12/01/2018 e lida: 737 vezes   
    
  
  
Prefeitura de Cerejeiras decide fechar escolas rurais do município e causa revolta
A Secretária Municipal de Educação alega que não tem condições de manter as escolas com poucos alunos.

Prefeitura de Cerejeiras decide fechar escolas rurais do município e causa revolta
Prefeitura de Cerejeiras decide fechar escolas rurais do município e causa revolta
Foto: Cerejeiras / Valéria Garcia

Por
Aline Rayane

A prefeitura de Cerejeiras decidiu fechar as escolas de ensino infantil e fundamental Uni Campo e Américo Vespúcio, as duas são as únicas escolas localizadas na área rural do município.

Ao Vilhena Notícias a secretária municipal de educação Zenilda Terezinha alegou que houve uma grande evasão de alunos durante os últimos anos nas duas escolas e que o município não tem condições de mantê-las.

“Está tendo uma diminuição dos alunos. Nós estamos gastando 100% dos repasses do Fundeb para pagamento de professores no município, não temos condições de manter as escolas com tão poucos alunos”, afirmou.

Além disso, a secretária contou que os prédios das escolas são antigos e inadequados para o ensino infantil, precisariam passar por uma reforma que teria um custo alto.

De acordo Zenilda, as vagas dos estudantes já estão reservadas em outras instituições de ensino municipal. Alunos do 1º ao 5º serão remanejados para a escola Irmã Dulce e os do ensino infantil para a escola Moranguinho Feliz.

O município já possui ônibus cedidos pelo Estado que buscam os alunos do ensino médio da área rural, segundo Zenilda serão feitas algumas adequações para que esses mesmos ônibus busquem também os alunos do ensino fundamental e infantil.

“Vamos colocar monitores em todos os ônibus para dar uma segurança maior aos alunos menores e teremos 14 trajetos para agilizar o tempo de colhimento desses alunos. De sua casa até a escola serão gastos em torno de 30 a 40 minutos”, informou a secretária.

Revolta

A mãe de um aluno de 9 anos, da escola Uni Campo, não ficou satisfeita com a decisão, para ela o fechamento das escolas fere o direito de educação das crianças.

“O prefeito não leva em conta a realidade local e acaba tirando das crianças o direito de uma educação vinculada a sua realidade. E sabemos que as crianças vão se deparar com muitas dificuldades pela distância a percorrer até a cidade. Não temos boas experiências das crianças que residem aqui no campo e estudam na cidade”, afirmou a mãe.

Ela afirmou que os pais não tiveram voz na decisão, então se uniram para tentar fazer com que as escolas não sejam fechadas e não vão matricular os filhos nas escolas da cidade.

“Tentamos realizar reuniões com o prefeito e secretaria, no entanto, não tivemos avanços e a única saída foi recorrer ao Ministério Público. Só estamos fazendo o que é nosso de direito, lutar pela educação e pela escola dos nossos filhos”, disse.

Se o parecer do Ministério Público (MP) não for favorável aos pais, a mãe afirmou que irão recorrer ao Ministério Público Federal, pois alegou que estão amparados pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), Constituição Federal, Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e por leis de Diretrizes Operacionais das escolas no Campo.

“Enquanto o município de Vilhena investe na construção de uma escola no campo o município de Cerejeiras quer fechar as únicas que ainda existem na zona rural. Fechar uma escola é fechar uma história e mudar a realidade das pessoas sem o seu consentimento”, declarou. 

 

 

FONTE: Vilhena Notícias

 

 


 



 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.