Notícia publicada às 09:01:55 - 13/01/2018 e lida: 2782 vezes   
    
  
  
CIDADE JARDIM: moradores enfrentam ruas intrafegáveis e reclamam da falta de iluminação, no período chuvoso
Falta regular da coleta de lixo incomoda moradores.

CIDADE JARDIM: moradores enfrentam ruas intrafegáveis e reclamam da falta de iluminação, no período chuvoso
CIDADE JARDIM: moradores enfrentam ruas intrafegáveis e reclamam da falta de iluminação, no período chuvoso
Foto: Vilhena Notícias

Por
Renato Spagnol

Moradores se queixam da falta de infraestrutura em ruas e avenidas dos bairros Parque Cidade Jardim I e II em Vilhena, e pedem por reparos na rede pública de iluminação.

Segundo depoimentos, durante o período de chuvas, as poças de água e lama densa impedem o tráfego de veículos, e dificultam o trânsito de pedestres para quem entra ou sai de casa. Como relata a operadora de caixa, Nubia Nestor Alves Barbosa, moradora da rua Jandaia, no Cidade Jardim I: “Os problemas aqui são muitos, mas posso apontar o lamaçal das ruas que muitas vezes impede o trânsito de veículos e pessoas a pé, além da falta regular da coleta de lixo”.

Residente do bairro há 08 anos, Nubia contou ao Vilhena Notícias que possui um automóvel, mas há meses o veículo está sendo deixado na casa de uma amiga, que reside a três quarteirões de distância. “Há meses eu estou deixando meu carro na garagem de uma amiga, pois não consigo chegar até minha casa”, lamenta ela.

As queixas da pensionista Maria Pereira Barbosa, moradora há 06 anos da rua das Gardênias, no Cidade Jardim II, reforçam as reclamações de outros moradores. Dificuldade de viabilidade, seja para veículos ou pedestres, e a escuridão em vias do bairro são as principais reclamações dela. Para Maria, a dificuldade de se transitar está ligada diretamente à obra de drenagem, que está sendo realizada na região pela empresa Projetus Engenharia.

Também ouvida pela reportagem, a técnica em enfermagem, Vera Lúcia Pereira Ferreira, moradora da avenida Galdino Silva no Cidade Jardim I, os problemas se repetem a cada ano, principalmente em relação à iluminação do bairro, mas suas principais reclamações são em relação as condições das ruas e avenidas e a falta de iluminação. “A noite a situação é ainda pior porque a rua está cheia de lama e buracos e a gente não sabe onde está pisando”, criticou ela. A coleta de lixo no bairro acontece em média a cada 15 dias, segundo informou a moradora. Para ela, os caminhões de coleta não conseguem passar em algumas ruas o que impossibilidade a retirado dos resíduos.

O outro lado

O titular da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp), Josué Donadon, conversou com a reportagem e se manifestou dizendo que a reclamação dos moradores da localidade é compreendida e pediu paciência, pois os transtornos de agora são para levar melhorias aos bairros. Josué lembrou que os problemas citados tiveram origem há anos, mas ressaltou que sua gestão à frente da pasta tem procurado a cada dia, solucionar ou amenizar o descontentamento da população.

Apontado por ele como uma herança “maldita” da anterior gestão, a cratera que há anos atormentou os moradores da região, requereu um enorme esforço da atual administração para solucionar o problema.

Leia: Recuperação parcial da “cratera da macrodrenagem” é concluída

Sobre as obras, apontados pelos residentes como causa do lamaçal, o secretário disse ainda que “a rede de tubulação que está sendo instalada, vai canalizar as águas pluviais para impedir a formação de uma nova erosão ao final da Curitiba e acabar com as enxurradas que chegam à localidade”. As tubulações vêm sendo instaladas na rua 743, que será interligada às avenidas Jandaia e Perimetral e desaguar no rio Pires de Sá.

Josué foi enfático em afirmar que neste período de chuvas é impossível acabar com a lama das vias: “as ruas foram ‘mexidas’ para a colocação das manilhas e o solo está encharcado, o que impossibilita a compactação do terreno”.

O secretário garante que as obras serão concluídas no período de estiagem e todas as vias serão recuperadas para dar melhor qualidade de vida aos moradores.

Já em relação à iluminação, ele frisou que a Semosp fez reparos recentes e substituiu todas as lâmpadas queimadas, mas “a rede [nos bairros] é antiga o que contribui para a queima das lâmpadas”. “Nós estamos seguindo um cronograma pré-estabelecido, agora estamos trabalhando com a substituição de lâmpadas queimadas na avenida Tancredo Neves, mas o Parque Cidade Jardim I e II serão novamente beneficiados dentro do nosso cronograma”, finalizou Josué.

O site busca junto ao SAAE uma resposta para a falta regular na coleta de lixo, como apontam os moradores.

CIDADE JARDIM: moradores enfrentam ruas intrafegáveis e reclamam da falta de iluminação, no período chuvoso

CIDADE JARDIM: moradores enfrentam ruas intrafegáveis e reclamam da falta de iluminação, no período chuvoso
Obras para a colocação de manilhas está sendo realizado na região.

CIDADE JARDIM: moradores enfrentam ruas intrafegáveis e reclamam da falta de iluminação, no período chuvoso
Trecho que interligará a rede de drenagem.

CIDADE JARDIM: moradores enfrentam ruas intrafegáveis e reclamam da falta de iluminação, no período chuvoso

CIDADE JARDIM: moradores enfrentam ruas intrafegáveis e reclamam da falta de iluminação, no período chuvoso
“Há meses eu estou deixando meu carro na garagem de uma amiga, pois não consigo chegar até minha casa”, lamenta a moradora Núbia.

CIDADE JARDIM: moradores enfrentam ruas intrafegáveis e reclamam da falta de iluminação, no período chuvoso

CIDADE JARDIM: moradores enfrentam ruas intrafegáveis e reclamam da falta de iluminação, no período chuvoso

CIDADE JARDIM: moradores enfrentam ruas intrafegáveis e reclamam da falta de iluminação, no período chuvoso
Falta de iluminação incomoda moradores.

CIDADE JARDIM: moradores enfrentam ruas intrafegáveis e reclamam da falta de iluminação, no período chuvoso

 

FONTE: Vilhena Notícias

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.