Notícia publicada às 13:42:53 - 07/12/2017 e lida: 2722 vezes   
    
  
  
Vilhenense que tentou matar ex por se sentir prejudicado na partilha de bens continuará preso, decide TJ
Namorado da ex foi baleado.

Vilhenense que tentou matar ex por se sentir prejudicado na partilha de bens continuará preso, decide TJ
Vilhenense que tentou matar ex por se sentir prejudicado na partilha de bens continuará preso, decide TJ
Foto: Reprodução

Por
Redação

A 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Rondônia, negou habeas corpus a Edilson Viana da Costa, acusado de ter tentado matar, no dia 30 de outubro de 2017 em Vilhena, sua ex-mulher, Claudirene Nunes da Silva, e o namorado dela: Juscimar de França Nunes.

Segundo investigações da 1ª Delegacia Especializada de Crimes Contra a Vida do município de Vilhena, Adilson teria ficado inconformado com a separação e se sentindo prejudicado na partilha dos bens, tendo na data do crime, juntamente com um comparsa, encontrado a ex-mulher na companhia do namorado Juscimar, perseguindo o casal e praticando o atentado.

Depois do crime, Juscimar conseguiu deixar a namorada em casa, local onde o ex-marido efetuou um disparo de arma de fogo, atingindo a vidraça de uma das janelas. Ao ir embora, Juscimar foi perseguido novamente e acabou baleado no braço, conseguindo chegar em sua casa e pedir socorro aos familiares.

Diante disto, o delegado Núbio Lopes de Oliveira indiciou Edilson pelos crimes de homicídio tentado duplamente qualificado por motivo fútil e recurso que dificultou a defesa da vítima; e por feminicídio tentado, também qualificado por motivo fútil e recurso que dificultou a defesa da vítima.

O processo tramita na 1ª Vara Criminal da Comarca de Vilhena.

Na sessão de julgamento realizada na quarta-feira, 6 de dezembro, outros 9 habeas corpus (HC) também tiveram seus pedidos negados pelos desembargadores da 2ª Câmara.

 

 

FONTE: Vilhena Notícias

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.