Notícia publicada às 08:42:11 - 04/12/2017 e lida: 3710 vezes   
    
  
  
PERDENDO DINHEIRO: Lojas que fecham no horário de almoço podem perder até 25% em vendas
Comércios menores, onde não há mais de um funcionário, optam por fechar nesse período.

PERDENDO DINHEIRO: Lojas que fecham no horário de almoço podem perder até 25% em vendas
PERDENDO DINHEIRO: Lojas que fecham no horário de almoço podem perder até 25% em vendas
Foto: Aline Rayane

Por
Aline Rayane

O movimento no comércio de Vilhena tem aumentado este ano, é o que indica uma pesquisa realizada pela Associação Comercial e Industrial de Vilhena (Aciv), que apontou que diversos comércios tiveram crescimento de até 7% nas vendas comparadas ao ano anterior. Somente no horário de almoço entre às 12h e 14h, alguns comércios conseguem em média 25% da renda mensal.

Essas vendas, na maioria das vezes, são feitas a pessoas que trabalham e aproveitam esse período de descanso para fazer compras, é o que ressalta Vanderley Miranda, gerente de uma loja de cosméticos no centro da cidade. “Eu acredito que poucas empresas fecham para o almoço, acho que aqui no centro nenhuma fecha, porque muitas pessoas só têm esse horário disponível para comprar”, disse.

De acordo com Vanderley, nesse período ficam 4 funcionárias na loja e para ele não compensaria dispensar funcionários e fechar no horário de almoço, pois perderia cerca de 20% das vendas mensais.

Quem também não vê ganho em fechar nesse horário é Valdete Mafra, proprietária de uma loja de lingerie também no centro, para ela a perca no rendimento poderia chegar à 30%.

“O movimento nesse horário não é tão intenso como o das 10h até às 11h30, mas tem movimento e faz diferença, acho que 25% a 30% da renda cairiam se fechássemos nesse horário”, afirmou a comerciante.

Além de vilhenenses, muitas pessoas que vêm de outros municípios vizinhos realizam compras neste período nos comércios de Vilhena. Nesse horário, Valdete atende muitas pessoas de Cerejeiras, Colorado, Campos de Julho, por exemplo, e esse também é o caso de Vanderley.

 “Nós atendemos aqui pessoas de Colorado, Cerejeiras, Comodoro, Cabixi, Chupinguaia e outras cidades da região, então essas pessoas vem para cidade exclusivamente para comprar e elas precisam ser atendidas no horário em que estão aqui”, informou Vanderley.

Pequenos comércios preferem fechar

O presidente da Aciv Eloi Maria incentiva o comércio local a manter as lojas abertas durante todo o dia para atender essas pessoas de que vêm de outras cidades, mas também entende que há pequenos comérciantes que não possuem condições de contratar funcionários para cobrir o horário.

“Geralmente são pequenos comércios, empresas familiares que fecham para o almoço. Talvez, esse comerciante já tenha feito esse levantamento e as vendas no período não compensa contratar um funcionário ou dois para manter aberto”, explicou Eloi.

É o caso de Nadir Alves, proprietária de uma loja de confecções na Av. Paraná, há 16 anos ela trabalha sozinha e sempre fechou sua loja das 12h às 14h para fazer o almoço de sua casa e realizar a refeição. De acordo com ela, o movimento vem caindo desde 2015 e não acha viável contratar funcionários.

“Eu digo que não perco muitas vendas nesse horário, ultimamente não tem muito movimento, para mim não compensa de maneira alguma contratar pessoas para trabalhar durante o ano”, declarou.

Somente no período de fim de ano, onde as vendas aumentam é que Nadir emprega alguém para lhe ajudar alguns dias antes do Natal e assim consegue manter a loja aberta durante todo o dia.

Mas nem mesmo no fim de ano Fernanda Freitas irá contratar um funcionário para manter sua loja de confecções também na Av. Paraná aberta durante o almoço.

A comerciante está há um mês em Vilhena, antes morava em Alta Floresta na região da Zona da Mata de Rondônia, mas com as vendas baixas na antiga cidade decidiu se mudar para Vilhena com a família e trazer o negócio junto.

“Eu não conhecia Vilhena, mas ouvia falar muito que o comércio da cidade era bom, então eu decidi me aventurar. Vim procurando melhoria, porque na antiga cidade a renda foi caindo e tive que escolher uma outra opção”, contou.

Mesmo não contratando funcionário no fim de ano, Fernanda disse que vai manter a loja aberta no horário em que outras pessoas saem para o almoço e provavelmente devem aproveitar para fazer as compras de fim de ano. “Vou ter que me virar e comer aqui mesmo, vou começar a partir de dezembro para aproveitar”, disse.

O que fica evidente é que ao fecharam as portas no horário do almoço, as lojas vilhenenses podem estar abrindo mão de 25% de seus lucros dentro do mês. 

PERDENDO DINHEIRO: Lojas que fecham no horário de almoço podem perder até 25% em vendas

Eloi Maria, presidente da Aciv, afirmou que alguns comerciantes teve crescimento de 7% nas vendas esse ano.

Fernanda Freitas trouxe sua loja para Vilhena há um mês, \"Eu não conhecia Vilhena, mas ouvia falar muito que o comércio da cidade era bom\", contou.

 

FONTE: Vilhena Notícias

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.