Notícia publicada às 18:26:53 - 12/11/2017 e lida: 3318 vezes   
    
  
  
Grávida sente dores no Enem e chuta maior parte da prova para sair da sala em Vilhena
Jovem de 21 anos diz que dores nas costas aumentaram durante a prova. Alice está no 6° mês de gestação.

Grávida sente dores no Enem e chuta maior parte da prova para sair da sala em Vilhena
Grávida sente dores no Enem e chuta maior parte da prova para sair da sala em Vilhena
Foto: Eliete Marques/G1

Por
Redação

Uma grávida de seis meses foi uma das primeiras candidatas a sair do local de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), neste domingo (12), em Vilhena (RO). À reportagem, Alice Cardoso de Paula, de 21 anos, disse que sentiu muitas dores nas costas e chutou a maioria das questões de física, matemática, química e biologia.

A jovem fez a prova na Escola Wilson Camargo. Segundo ela, enquanto respondia as questões da prova sentiu muitas dores nas costas, mas mesmo assim não quis deixas as questões em branco.

"Hoje chutei 70% da prova. Gosto mais de humanas. Gostei muito do tema da redação", diz a candidata que pretende cursar educação física.

2° domingo de prova

Temas que historicamente são comuns nas provas do Enem voltaram a aparecer nas questões. Em matemática, os candidatos precisaram calcular a mediana em uma pergunta envolvendo as taxas de desemprego no Brasil entre março de 2008 e março de 2009.

Candidatos precisaram ainda calcular o ângulo de uma pessoa que pulava em uma cama elástica e o ângulo para realinhar uma réplica do quadro "O peixe".

Em biologia, um boto foi a inspiração para uma questão envolvendo conhecimentos sobre o meio ambiente e a poluição. Duas irmãs também foram usadas em um enunciado que pedia dos estudantes conhecimentos sobre genética e DNA.

Na parte de ciências da natureza, predominaram temas de ecologia e biologia celular e molecular.

 

 

FONTE: G1 RO

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.