Notícia publicada às 10:38:56 - 09/11/2017 e lida: 2385 vezes   
    
  
  
VILHENA CONTA SUA HISTÓRIA: A lenda do ouro escondido no Posto Telegráfico
Existe toda uma história envolvendo o posto, inclusive com o ataque que Rondon sofreu, quando foi atingido por uma flecha envenenada pelos índios.

VILHENA CONTA SUA HISTÓRIA: A lenda do ouro escondido no Posto Telegráfico
VILHENA CONTA SUA HISTÓRIA: A lenda do ouro escondido no Posto Telegráfico
Foto: Memória Vilhenense

Por
Redação

Dando sequência à série de matérias sobre a história do município de Vilhena, destacamos nesta oportunidade o antigo posto telegráfico, ou a Casa de Rondon, ou simplesmente o Museu do município.

O posto foi inaugurado em 12 de outubro de 1911, pelo Marechal Cândido Rondon, e tinha por finalidade estabelecer a ligação entre Rio de Janeiro e o Acre.

Existe toda uma história envolvendo o posto, inclusive com o ataque que Rondon sofreu, quando foi atingido por uma flecha envenenada pelos índios.

O posto telegráfico ficou abandonado até meados de 1970, somente com os equipamentos. Naquele mesmo espaço funcionava um Museu Municipal Marciano Zonoecê, que era a casa histórica e um zoológico. O local tornou-se um dos principais pontos de recreação e entretenimento das famílias vilhenenses.  Também, próximo do local existia um cemitério indígena da tribo Nhambiquaras, onde haviam sido enterradas cerca de 100 pessoas.

Entretanto, existe um mistério que até agora predomina entre os mais antigos da região: há ouro escondido nesse local. O primeiro prefeito eleito de Vilhena, Vitório Abrão, narra este fato. "Tinha um índio que tomava muita cachaça e saiu espalhando pra todo mundo na vila que havia ouro escondido perto do posto telegráfico. Ele dizia que o pai dele falou com Marechal Rondon e confidenciou. Com isso, diversas pessoas de Vilhena começaram naquele tempo, em 1974/75, a cavar envolta do museu. Um grupo, inclusive, fez um buraco de 8 metros de profundidade. E o tal índio estava junto, bêbado, incentivando. Tinha um pé de limão galego que era o local onde estaria escondido o ouro. Mas não encontraram nada", lembra.

Outras fotos e passagens históricas:

Placa no meio da floresta para identificar o “nascimento de Vilhena”; o ano era 1960

A visita do presidente JK e o “barracão queimado”

JK em Vilhena e a última árvore da BR-364

A visita do ex-presidente americano Theodore Roosevelt

A “Estrada Velha” que fez muitas mortes na época da madeira

 

FONTE: Semcom

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.