Notícia publicada às 15:19:08 - 06/10/2017 e lida: 68 vezes   
    
  
  
Concurso de Rolim deve ser cancelado por recomendação do MP
A Procuradoria irá analisar o inquérito civil, e o parecer conclusivo do Ministério Público, para então manifestar acerca do cancelamento.

Concurso de Rolim deve ser cancelado por recomendação do MP
Concurso de Rolim deve ser cancelado por recomendação do MP
Foto: ilustrativa

Por
Redação

O Ministério Público, através da 2ª Promotoria de Justiça de Rolim de Moura (RO), recomendou ao Prefeito de Rolim de Moura (RO), Luiz Ademir Schock, que a Administração Municipal cancele o concurso para preenchimento de 14 vagas, sendo três para enfermagem, uma para fonoaudiologia e dez para médico clínico geral. As demais vagas são para preenchimento de cadastro de reserva e para candidatos enquadrados na condição de Pessoa Com Deficiência (PCD), totalizando 66 vagas. O concurso está sendo organizando pela empresa Inaz do Pará Serviços de Concursos Públicos Ltda.

De acordo com Administração Municipal todo o tramite do processo licitatório transcorreu na total legalidade, sem nenhuma irregularidade, inclusive com recomendação e aprovação do Tribunal de Contas do Estado. Já o certame, foi executado totalmente pela empresa organizadora.

A Procuradoria Jurídica da Prefeitura de Rolim de Moura, tomou conhecimento oficialmente da recomendação na manhã desta sexta-feira (06/10). A Administração Municipal tem 10 dias úteis para se manifestar, e responder ao MP se cancelará definitivamente, ou se dará continuidade e concluirá o concurso público.

Segundo o Prefeito, a Procuradoria irá analisar o inquérito civil, e o parecer conclusivo do Ministério Público, para então manifestar acerca do cancelamento. Após a análise do pedido a Administração Municipal  verificará qual a melhor decisão a ser tomada.

 

 

FONTE: Ministério Público Estadual de Rondônia

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.