Notícia publicada às 11:37:23 - 05/10/2017 e lida: 3937 vezes   
    
  
  
Último empresário preso sob acusação de tráfico de drogas deve deixar a prisão nesta quinta
TJ concedeu HC e defesa aguarda expedição do alvará de soltura

Último empresário preso sob acusação de tráfico de drogas deve deixar a prisão nesta quinta
Último empresário preso sob acusação de tráfico de drogas deve deixar a prisão nesta quinta
Foto: Reprodução/Fotomontagem

Por
Renato Spagnol

Foi concedido a Rodrigo Cabral Bellario, habeas corpus (HC) por unanimidade pelos desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia, nesta quinta-feira, 05 de outubro. Rodrigo, Vinícius Masutti e Ricardo Kayed Atalla Paraizo foram presos no dia 25 de agosto, em Vilhena, com 80 comprimidos de Ecstasy e dez gramas de pó suficientes para gerar o mesmo efeito que dez cápsulas do entorpecente, no curso da operação “Amizades Artificiais” da Polícia Federal de Vilhena.

Leia: Polícia Federal prende vilhenenses de famílias tradicionais por tráfico

Na semana passada o TJ já havia concedido por dois votos a um, HC em favor de Vinícius e Ricardo. Ambos deixaram a Casa de Detenção no dia 28 de setembro.

Por telefone o advogado José Francisco disse ao Vilhena Notícias que aguarda a chegada do alvará de soltura, mas garantiu que Rodrigo Bellario deve deixar a prisão ainda nesta quinta. Até o julgamento o trio poderá responder o processo em liberdade.

 

Justiça marca audiência

A denúncia contra eles, por tráfico de drogas e associação para o tráfico já foi apresentada à justiça e tramita na 2ª Vara Criminal. A 1ª audiência de instrução e julgamento foi marcada para a próxima terça-feira, 10.

 

Operação Amizades Artificiais

A operação “Amizades Artificiais” da Polícia Federal de Vilhena, foi iniciada há um mês e na noite de sexta-feira, 25 de agosto, agentes da PF cumpriram três mandados de prisão em desfavor de empresários de famílias tradicionais da cidade de Vilhena.

Foram presos os empresários Vinícius Mazutti, Ricardo Kayed e Rodrigo Belario, e com eles foram encontrados 80 comprimidos de Ecstasy e dez gramas de pó suficientes para gerar o mesmo efeito que dez cápsulas do entorpecente. Neste caso, o uso é diferente: o pó é dissolvido em água.

Através das investigações da PF foi descoberto que às drogas chegavam dos estados do Sul do Brasil através dos Correios e que Vinícius, Ricardo e Rodrigo recebiam essas drogas em suas próprias casas, para depois, comercializá-las.

Os policiais foram cautelosos e montaram campanas, obtendo êxito na prisão do trio no momento em que eles se reuniram na empresa de Rodrigo para dividirem o lote das drogas, ocasião em que os federais adentraram ao local e ao constatarem que as substâncias eram autênticas e ilegais, realizaram a prisão em flagrante dos empresários.

A polícia informou ainda que os celulares dos empresários foram apreendidos e mesmo que as mensagens tenham sido apagadas, eles conseguem recuperá-las. Através da prisão dos três empresários, a PF descobriu o envolvimento de outras pessoas no crime e elas podem ser presas.

O trio de empresários foi apresentado na Delegacia de Polícia Federal e foram autuados em flagrante por tráfico de drogas sintéticas.

Leia também

Decisão do TJ de soltar empresários acusados de tráfico de drogas e associação para o tráfico gera revolta nas redes

TJ manda soltar dois dos empresários acusados de comercializar droga sintética em Vilhena

 

 

 

FONTE: VILHENA NOTÍCIAS

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.