Notícia publicada às 12:34:54 - 04/10/2017 e lida: 2738 vezes   
    
  
  
Liminar que mandava Câmara pagar salários a vereadores cassados é revogada
Num breve relatório Roosevelt explicou que “neste momento, deferir, ainda que parcialmente e em caráter precário, o pedido liminarmente aduzido comportaria mais riscos ao interesse público do que propriamente aos impetrantes

Liminar que mandava Câmara pagar salários a vereadores cassados é revogada
Liminar que mandava Câmara pagar salários a vereadores cassados é revogada
Foto: Renato Spagnol

Por
Redação

O Desembargador Roosevelt Queiroz Costa REVOGOU na terça-feira, 03 de outubro, a decisão liminar do Tribunal de Justiça de Rondônia, de 29 de setembro, que determinava que os vereadores cassados, Ângelo Mariano Junior Donadon (PSD),  Carmozino Alves Moreira (PSDC) e Vanderlei Amauri Graebin (PSC), voltassem a receber salários, suspensos desde que foram cassados em definitivo pela Câmara de Vereadores.

A liminar ainda determinava que a Câmara deveria afastar os vereadores que foram empossados no lugar deles, já que a Casa de Leis não poderia pagar salários dobrados.

Leia: Decisão liminar do TJ determina que vereadores cassados voltem a receber salários

Num breve relatório Roosevelt explicou que “neste momento, deferir, ainda que parcialmente e em caráter precário, o pedido liminarmente aduzido comportaria mais riscos ao interesse público do que propriamente aos impetrantes [Junior, Carmozino e Graebin]”.

Em outro trecho o desembargador cita que conceder os salários aos vereadores cassados geraria uma lesão aos cofres públicos. O processo que autorizou a posse deles em janeiro deste ano ainda é em discussão no TJ.

Íntegra da revogação

 

Entenda o caso

Os vereadores Vanderlei Amauri Graebin (PSC), Ângelo Mariano Junior Donadon (PSD) e Carmozino Alves Moreira (PSDC), respondem a ações penais em função de terem sido presos ano passado em operação da Polícia Federal que investiga uma série de desvios. Mesmo presos, em janeiro deste ano a justiça determinou que eles continuassem recebendo salários.

Em junho desse ano, a Câmara cassou o mandato dos três, em uma sessão extraordinária. Os 10 vereadores em exercício votaram a favor da perda dos mandatos. O relator da CPI, vereador Rafael Maziero, leu a denúncia e o parecer final da Comissão. Os vereadores Vanderlei e Carmozino compareceram à sessão e manifestaram suas defesas.

Junior Donadon, que havia apresentando carta renunciado ao mandato, não compareceu à sessão e não enviou representante. Junior, Carmozino e Vanderlei foram acusados pela CPI de infração ético-disciplinar por prática de atos de corrupção e infração ético-disciplinar por conduta incompatível com o decoro parlamentar.

Os três foram reeleitos vereadores nas eleições do dia 2 de outubro de 2016. Júnior foi o 5º mais votado da cidade e recebeu 1.057 votos, o que corresponde a 2,3% dos votos válidos. Graebin foi eleito pela 6ª vez consecutiva com 950 votos e Carmozino pela 4ª vez, com 921 votos.

Em janeiro deste ano, mesmo presos, eles tomaram posse do cargo. Em março, os parlamentares tiveram o pedido de liberdade deferido pela 1ª Câmara Especial do Tribunal de Justiça de Rondônia, mas a decisão de afastamento da Câmara de Vereadores, imposta anteriormente, não foi revogada.

Siga-nos através do Facebook clicando aqui.

 

 

FONTE: VILHENA NOTÍCIAS

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.