Notícia publicada às 16:03:23 - 29/09/2017 e lida: 2190 vezes   
    
  
  
Mulher recebe mais de R$ 8 mil em notas falsas e procura polícia em Chupinguaia
Vítima contou aos policiais que vendeu um carro e recebeu a quantia como parte do pagamento. O dinheiro foi entregue na Polícia Federal (PF) de Vilhena (RO).

Mulher recebe mais de R$ 8 mil em notas falsas e procura polícia em Chupinguaia
Mulher recebe mais de R$ 8 mil em notas falsas e procura polícia em Chupinguaia
Foto: Reprodução/Tv Diário

Por
Redação

Uma mulher de 28 anos recebeu mais de R$ 8 mil em notas falsas e procurou a Polícia Militar de Chupinguaia (RO), na região do Cone Sul. O caso foi registrado na quinta-feira (28). Ela contou aos policiais que vendeu um carro e recebeu a quantia como parte do pagamento. O dinheiro foi entregue na Polícia Federal (PF) de Vilhena (RO).

A vítima relatou que vendeu um carro para um homem de 32 anos. Ele pagou parte da dívida com 167 notas de R$ 50, totalizando a quantia de R$ 8.350, na terça-feira (26). Ela disse que por desconhecer notas falsas, guardou o dinheiro e não percebeu nada de diferente.

No dia seguinte, ela emprestou R$ 300 para o pai, que descobriu, em uma transação, que o dinheiro era falso. Além disso, um parente da vítima também recebeu a quantia de R$ 250 do suspeito, e constatou que também era falsa.

Diante da situação, a mulher procurou ajuda na PM do distrito do Guaporé. A vítima e o parente dela, que também teria recebido notas falsas do mesmo homem, foram levadas para a PF de Vilhena, bem como a quantia de R$ 8.350.

A PF não passou informações sobre a investigação.

 

 

FONTE: G1 RO

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.