Notícia publicada às 09:25:35 - 28/09/2017 e lida: 1999 vezes   
    
  
  
Cassol critica projeto de Acir Gurgacz que proíbe táxis de fazerem corridas entre municípios
Na avaliação de Cassol, a iniciativa tem como principal finalidade beneficiar a Eucatur, empresa de Gurgacz, que comanda praticamente sozinha o transporte intermunicipal em Rondônia.

Cassol critica projeto de Acir Gurgacz que proíbe táxis de fazerem corridas entre municípios
Cassol critica projeto de Acir Gurgacz que proíbe táxis de fazerem corridas entre municípios
Foto: Reprodução/Fotomontagem

Por
Redação

Durante a reunião da Comissão de Constituição e Justiça do Senado nesta quarta-feira, (27), o senador Ivo Cassol fez duras críticas ao projeto de Lei n°569/15, de iniciativa do senador Acir Gurgacz que proíbe taxistas de levarem passageiros de um município ao outro, o chamado transporte intermunicipal. A proposta aprovada terminativamente pela CCJ seguiu para a análise dos deputados.

Na avaliação de Cassol, a iniciativa tem como principal finalidade beneficiar a Eucatur, empresa de Gurgacz, que comanda praticamente sozinha o transporte intermunicipal em Rondônia. O projeto de Gurgacz estabelece, por exemplo, que os motoristas que forem pegos fazendo o transporte irregular de passageiros poderão perder a habilitação.

Insatisfeitos com o projeto, os taxistas de Rondônia alertam que a medida de Gurgacz visa fortalecer ainda mais o monopólio do transporte da Eucatur em Rondônia.  “ O Senador que tinha que está aqui a serviço da população de Rondônia e do Brasil vem aqui fazer uma lei em benefício próprio para as suas empresas. As passagens da Eucatur são uma das mais caras do Brasil. Uma passagem de Porto Velho a Vilhena custa R$180, em outra empresa custa R$115 isso não é serviço de um senador, legislar em causa própria”, atacou Cassol.

 

 

FONTE: Assessoria

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.