Notícia publicada às 09:16:43 - 26/09/2017 e lida: 207 vezes   
    
  
  
IFRO é credenciado a ofertar o primeiro mestrado
“É motivo de comemoração, pois, a partir de agora, de forma efetiva verticalizamos o nosso ensino. Além de oferecer à sociedade mais um serviço, e um serviço qualificado”

IFRO é credenciado a ofertar o primeiro mestrado
IFRO é credenciado a ofertar o primeiro mestrado
Foto: Divugação

Por
Redação

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO) teve aprovada a proposta de se tornar instituição associada da Rede ProfEPT (Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica). O resultado final foi publicado na quarta, dia 20, e credencia o IFRO a fazer parte do programa de pós-graduação em Educação Profissional e Tecnológica, e a ofertar o mestrado profissional em Educação Profissional e Tecnológica em rede nacional.

No planejamento da Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação (PROPESP/IFRO) por meio da Coordenação de Pós-Graduação, o primeiro mestrado do IFRO terá início em 2018, com quadro docente composto por professores doutores do próprio IFRO. Já a coordenação local acadêmica e aulas deverão ocorrer no Campus Porto Velho Calama.

“É uma conquista extremamente importante para a nossa instituição por marcar o início da oferta de stricto sensu pelo IFRO. Desde 2015 iniciamos a qualificação dos nossos servidores buscando qualificar a instituição para começar a ofertar este nível de educação e colocar em prática os objetivos institucionais”, avalia o Reitor Uberlando Tiburtino Leite. Integrante da Rede de Educação Federal, o IFRO pode ofertar todos os níveis de ensino, desde o nível médio à pós-graduação. “É motivo de comemoração, pois, a partir de agora, de forma efetiva verticalizamos o nosso ensino. Além de oferecer à sociedade mais um serviço, e um serviço qualificado”, completa o professor Uberlando.

O reitor também visualiza para o IFRO um aumento da produção qualificada por meio de artigos científicos e de outras publicações técnicas, visando a aprovação de novos programas de mestrado e, futuramente, a oferta de doutorado.

No resultado divulgado pelo Ministério da Educação foram credenciadas 18 novas instituições. O mestrado ProfEPT pertence à área de Ensino e é autorizado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Conforme o Pró-Reitor de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação, Gilmar Alves Lima Junior, esse credenciamento do IFRO faz parte do planejamento institucional desde 2015, objetivando a oferta de cursos de nível de pós-graduação stricto sensu. “É um marco extremamente importante e histórico para o IFRO a oferta de stricto sensu. Dentro do planejamento do PDI 2018 a 2022, nós temos uma programação para outros cursos, em diferentes áreas, em todas as unidades”.

“Outro ponto importante é que será mais um curso de pós-graduação stricto sensu a ser ofertado no estado de Rondônia. Para a sociedade, de uma forma geral, é extremamente positivo para qualificação e capacitação da população. Esse curso tem uma questão especial, porque tem reserva de vaga para servidores dos Institutos Federais, sendo mais uma oportunidade de capacitação em um curso de uma área específica de nossa atuação que é a educação profissional e tecnológica”, diz Gilmar Alves.

Sob coordenação geral do Instituto Federal do Espírito Santo, a admissão de discentes ao ProfEPT se dá por meio de um Exame Nacional de Acesso. Por se tratar de um mestrado profissional, o pró-reitor afirma que possui como característica “desenvolver pesquisa aplicada, com intervenção, teremos assim bons resultados de discussões e de pesquisas na área de educação profissional e tecnológica, que pode refletir diretamente no nosso dia a dia na sala de aula e na gestão do Instituto Federal de Rondônia. Além de fortalecer o ensino profissional e tecnológico de modo geral”.

Confira o resultado final em: https://goo.gl/G21bgz

 

 

FONTE: Assessoria

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.