Notícia publicada às 23:33:25 - 02/09/2017 e lida: 35024 vezes   
    
  
  
REVIRAVOLTA NO CASO JÉSSICA: imagens de câmeras e depoimentos podem complicar situação de Diego Parente
Testemunhas do processo contradizem versão dada por réu em depoimento à polícia

REVIRAVOLTA NO CASO JÉSSICA: imagens de câmeras e depoimentos podem complicar situação de Diego Parente
REVIRAVOLTA NO CASO JÉSSICA: imagens de câmeras e depoimentos podem complicar situação de Diego Parente
Foto: Reprodução/Facebook

Por
Renato Spagnol

A morte cruel da adolescente Jéssica Moreira Hernandes de 17 anos, assassinada com 13 facadas no final de abril deste ano na cidade de Cerejeiras, pode sofrer uma reviravolta. Isso porque as provas anexadas ao processo e relatos de testemunhas ouvidas nas Audiências de Instrução dos dias 23 e 31 de agosto, contradizem pontos importantes e a cronologia dos fatos narrados pelo réu confesso Diego de Sá Parente.

Leia: Primo confessa participação no crime de Jéssica e detalha motivos do assassinato

O Vilhena Notícias teve acesso a documentos anexados nos autos e relatos de testemunhas ouvidas na Instrução, que apresentam contradição entre a versão dada por Diego Parente em depoimento ao delegado do caso, no dia 25 de abril, data em que ele e o primo Ismael José da Silva – namorado da adolescente – foram presos e apontados como autores do crime.

As contradições mais marcantes são em relação à compra da lona usada para enrolar a vítima e à caminhonete usada para carregar o corpo. Nos depoimentos prestados por Diego ele confirmou que atraiu Jéssica até a casa, mas disse que Ismael foi o autor das facadas que vitimaram a moça. Após o crime, Diego contou que ficou no imóvel, enquanto Ismael teria saído e minutos depois retornado com a lona, a gasolina e a pick-up S-10 usada para transportar o corpo até o matagal.

O proprietário da S-10 em depoimento prestado na Audiência de Instrução disse que foi Diego quem pediu a caminhonete emprestada no dia do crime. Assim como o proprietário do estabelecimento onde a lona foi comprada, que confirmou na audiência que Diego esteve na loja para comprar a lona. Outra testemunha do processo também teria confirmado que Diego comprou o combustível. Os depoimentos das testemunhas contradizem a versão do réu Diego Parente dada desde o primeiro momento de sua prisão.

 

Outros pontos

Jéssica saiu de casa de bicicleta por volta das 08h00 do dia 20 de abril e o corpo dela foi encontrado na noite do dia 24 daquele mês.

Nas primeiras divulgações ainda no dia em que o corpo foi encontrado, foi apresentada a versão com base em relatos de conhecidos da vítima, que Ismael teria tido um comportamento estranho ao ir na casa da família ainda no período da manhã do dia 20 e anunciado o desaparecimento de Jéssica.

Segundo a advogada de Ismael, Shara Eugênio de Souza, seu cliente chegou no local de trabalho por volta das 07h23 do dia 20, conforme mostram imagens de câmeras de monitoramento que registraram o veículo de Ismael.

A reportagem teve acesso ainda as conversas trocadas entre Ismael e a mãe de Jéssica através do aplicativo WhatsApp no dia do crime.

Pouco depois das 09h30 Ismael envia uma mensagem dando bom dia à mãe de Jéssica e pergunta: “Jéssica foi pro hospital?”. Do outro lado a mãe da moça responde: “Não sei ela saiu para ir ver umas coisas dela foi isso que ela falou para mim”. Ismael então envia outra mensagem dizendo que ligaria para Jéssica.

 

Transcrição das mensagens trocadas entre Ismael e a mãe da adolescente no dia do crime.

Ismael: Bom dia.

Ismael: Jéssica foi pro hospital?

Mãe:  Não sei ela saiu p ir ver umas coisas dela foi isso que ela falou p mim.

Ismael: Vou ligar pra ela.

Ismael: Vc falou com a Jessíca?

Ismael: Ela não mim atende.

Mãe: Dá celular desligado.

Mãe: Nem chama.

Ismael: Eu liguei chamou mais ela não atende.

Mãe: Vou tentar de novo.

Ismael: Se conseguir fala pra ela mim atender.

Mãe: Nem chama.

Mãe: Dá celular desligado ou fora de área.

Ismael: É agora deu desligado.

Ismael: E quando ela saiu daqui ela tava com pouca bateria. (A explicação da advogada para a mensagem (“quando ela saiu daqui” é uma citação de Ismael à noite anterior ao dia do crime. O casal esteve no Restaurante El Gaúcho assistindo a uma partida de futebol e a permanência deles no local foi confirmada pelo proprietário do comércio em depoimento à justiça).

Ismael: Não carregou durante a noite?

Mãe: Ela levantou e fico escutando música.

Ismael: Nada dela aí?

Mãe: Não.

Mãe: Já to preocupada.

Ismael: Ué.

Ismael: Onde se meteu.

Mãe: Não sei.

Mãe: Só sei que tou preocupada mesmo.

Ismael: Ela ia busca a Manu na creche?

Mãe: Não.

Mãe: Pq ficou da rosangela vim conversa antes.

A conversa entre eles sofre uma pausa às 10h55 e às 11h10 Ismael volta a enviar mensagens.

Ismael: Falou com ela?

Mãe: Não.

Mãe: Desligado ainda.

Ismael: Já liguei até no hospital.

Ismael: E nd.

Mãe: Eu não sei nem por onde procura ela.

Ismael: Ela tá de bicicleta?

Mãe: Sim.

Às 11h14 Ismael diz através de mensagem: “Vou vê se acho ela.

A defesa de Ismael alega que todas as mensagens foram trocadas no momento em que ele estava no Detran (Ciretran), local onde trabalha, e cedeu ao Vilhena Notícias imagens de câmeras de monitoramento que mostram o veículo de Ismael saindo do órgão público às 11h16, dois minutos depois de dizer que iria tentar encontrar a namorada.

Investigações da Polícia Civil de Cerejeiras apontaram que a moça chegou no imóvel onde ocorreu o crime por volta das 08h30 e logo depois foi assassinada. A nossa equipe de reportagem também conseguiu obter imagens de câmeras de monitoramento que mostram a S-10 usada no crime, seguindo às 09h33 do dia 20 em direção ao local onde o corpo foi encontrado.

A defesa de Ismael garante que não há nada que o coloque no local do crime.

 

Diego teria atrapalhado a vida conjugal de Ismael com a ex esposa

No dia 31, última Audiência de Instrução a justiça ouviu a mãe de Ismael. Segundo informado ao site através da defesa do réu, ela teria dito que Diego teve interferência na separação de Ismael com a ex esposa, com quem tem um filho menor.

 

Perícia identifica sangue humano na calça de Ismael

A calça e camisa usada por Ismael Silva no dia do crime foram entregues por ele mesmo à polícia. As peças foram enviadas para a capital Porto Velho, onde a perícia identificou na calça a presença de sangue humano, mas não foi possível realizar exame de DNA.

Shara esclareceu que a mancha de sangue foi identificada dentro de um dos bolsos da calça. Segundo ela, o próprio réu justificou ainda em depoimento à polícia que o sangue encontrado na calça era dele mesmo. “Ismael esclareceu a mancha de sangue. Ele trabalha no setor de vistoria do Detran e mostrou a mão na audiência onde ainda há sequelas de ferimentos causados pelo trabalho que exerce, e o próprio Ismael também relatou que sofre com dores de cabeça e quando isso acontece ele tem sangramento pelo nariz”, disse Shara Eugênio.

No processo também consta outro documento no qual o Vilhena Notícias teve acesso. O laudo foi assinado pelo médico legista Ricardo Braz das Neves Rocha em 25 de abril, dia em que Ismael e Diego foram detidos. O documento é referente ao exame de corpo de delito feito em Diego. O exame mostra a presença de três ferimentos superficiais e em fase de crosta com 0,7 cm de comprimento. Tais ferimentos segundo o laudo, foram identificados no dorso do quarto e quinto dedos da mão direita. A perícia aponta ainda que os ferimentos podem ter sido causados há cinco dias, o que corresponderia ao dia do crime.

 

Pertences da vítima

Shara Eugênio disse que a bolsa de Jéssica e o cartão de memória do celular dela foram encontrados pela polícia na casa de Diego. “O cartão de memória da Jéssica foi encontrado entre as calças jeans dele [Diego]”, destacou Shara.

No dia 26 de abril homens do Corpo de Bombeiros encontraram a bicicleta da vítima, duas camisetas sujas de sangue e um par de chinelos dentro de um poço no quintal da casa onde Jéssica foi morta. Segundo apurado pela reportagem, o réu Diego confirmou em juízo que as duas camisetas pertencem a ele, já o par de chinelos pertencia à vítima. A própria mãe de Jéssica reconheceu o calçado como sendo da filha.

 

Família da vítima diz estar convencida que Ismael é inocente

A mãe de Jéssica redigiu de próprio punho uma carta de duas páginas que foi entregue à advogada de Ismael. Nela a mãe da jovem diz que ela, o esposo e o irmão da moça acreditam na inocência de Ismael e pede a libertação dele.

O Vilhena Notícias teve acesso à carta e divulgará em breve a íntegra a pedido da própria família.  

 

Alegações finais

Os advogados de ambos os acusados apresentaram as alegações finais. A defesa de Ismael Silva acredita que ele será impronunciado – ou seja, o juiz concluirá que não há nenhuma prova contra ele. Se isso acontecer, apenas Diego Parente que confessou o crime deverá ser levado a júri popular. A decisão da justiça pode sair já na próxima semana.

A reportagem não conseguiu manter contato com a defesa de Diego Parente.

 

Leia mais

CASO JÉSSICA: Namorado é indiciado por homicídio e ocultação de cadáver

Objetos encontrados em poço onde jovem foi executada podem ser dos suspeitos do crime

Corpo de jovem desaparecida é encontrado parcialmente em Cerejeiras

REVIRAVOLTA NO CASO JÉSSICA: imagens de câmeras e depoimentos podem complicar situação de Diego Parente
Imagens mostram o automóvel Fox que pertence a Ismael saindo da Ciretran às 11h16 do dia 20 de abril.

REVIRAVOLTA NO CASO JÉSSICA: imagens de câmeras e depoimentos podem complicar situação de Diego Parente
Na foto é possível ver a caminhonete S-10, usada para carregar a vítima seguindo em direção à estrada onde o corpo foi encontrado.

REVIRAVOLTA NO CASO JÉSSICA: imagens de câmeras e depoimentos podem complicar situação de Diego Parente
A troca de mensagens entre a mãe de Jéssica e Ismael no dia em que a adolescente foi morta.

REVIRAVOLTA NO CASO JÉSSICA: imagens de câmeras e depoimentos podem complicar situação de Diego Parente
Laudos da perícia mostram a presença de ferimentos na mão de Diego.

REVIRAVOLTA NO CASO JÉSSICA: imagens de câmeras e depoimentos podem complicar situação de Diego Parente
Ferimentos teriam sido causados no dia do crime.

 

FONTE: VILHENA NOTÍCIAS/Atualizada às 11h38 de 03 de agosto

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.