Notícia publicada às 09:15:09 - 15/07/2017 e lida: 5412 vezes   
    
  
  
Técnico da Caixa alerta moradores do residencial União: “Uso indevido ou venda de casinha gera ação judicial”
Ele também explicou sobre o uso do imóvel, já que os mesmos têm que permanecer com a mesma estrutura, sem alteração com “puxadinhos” ou outra construção semelhante que possa comprometer a estrutura da casa.

Técnico da Caixa alerta moradores do residencial União: “Uso indevido ou venda de casinha gera ação judicial”
Técnico da Caixa alerta moradores do residencial União: “Uso indevido ou venda de casinha gera ação judicial”
Foto: Renato Spagnol

Por
Redação

Valdinei Dias Pinheiro, assistente de projetos sociais da Caixa Econômica Federal (CEF), de Porto Velho, esteve nesta quarta-feira, 13, em Vilhena, momento em que proferiu palestra aos moradores do residencial “União” e alertou a respeito das normas estabelecidas aos beneficiários de casas populares.

A palestra aconteceu nas instalações do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) e direcionada a inúmeras famílias que foram beneficiadas com moradia através do programa “Minha Casa, Minha Vida”.

Na ocasião, estiveram presentes a prefeita Rosani Donadon, a titular da Secretaria Municipal de Assistência Social (SEMAS), Ivete Pires, o ex-prefeito Melki Donadon, além de responsáveis da empresa “Habitar”, que desenvolve o planejamento de atividades junto aos beneficiários.

Com o auditório lotado, entre vários assuntos, Pinheiro fez um importante alerta: “O uso inadequado do imóvel, assim como a venda ou empréstimo, é proibido. Isso só pode acontecer após 10 anos de formalizado o contrato, ou o pagamento das 120 parcelas disponibilizadas. Quem fez isso ou pensar em fazer responderá criminalmente”, disse Pinheiro.

Ele também explicou sobre o uso do imóvel, já que os mesmos têm que permanecer com a mesma estrutura, sem alteração com “puxadinhos” ou outra construção semelhante que possa comprometer a estrutura da casa. “O morador não pode, por exemplo, construir uma obra para implantar um bar ou mercadinho. Tudo isso é proibido. O local é destinado somente para moradia, e não para comércio”, explicou.

Pinheiro informou que, ainda, que o pagamento mensal do contrato por moradias é importante para manter a manutenção do programa e continuidade de obras semelhantes no município pelo Governo Federal.

 

Leia mais

Venda de casa popular gera nova polêmica em Vilhena; entenda

“Minha casa não está à venda”: Beneficiária do Conjunto União nega denúncia e esclarece polêmica

 

 

FONTE: Semcom

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.