Notícia publicada às 09:08:55 - 04/07/2017 e lida: 12349 vezes   
    
  
  
MP pede acesso à quebra de sigilo telefônico de Diego Parente para apurar real participação dele no assassinato de Jéssica
MP protocolou pedido para que seja quebrado o Sigilo de Dados e/ ou Telefônico, do réu Diego de Sá Parente

MP pede acesso à quebra de sigilo telefônico de Diego Parente para apurar real participação dele no assassinato de Jéssica
MP pede acesso à quebra de sigilo telefônico de Diego Parente para apurar real participação dele no assassinato de Jéssica
Foto: Reprodução

Por
Redação

O promotor de justiça do Ministério Público Estadual de Rondônia pediu acesso à quebra do Sigilo de Dados e/ ou Telefônico, do réu Diego de Sá Parente, que confessou participação no assassinato de Jéssica Moreira Hernandes de 17 anos, em abril deste ano, no município de Cerejeiras. Também foi solicitado acesso aos dados de Ismael José da Silva, réu na mesma ação.

Leia: Corpo de jovem desaparecida é encontrado em Cerejeiras

O objetivo segundo fontes do VILHENA NOTÍCIAS, é para apurar se Diego manteve telefonicamente contato com Jéssica, nas horas que precederam ao homicídio e qual o teor da conversa. A quebra de sigilo poderá mostrar ainda, se Diego manteve contato com Ismael para planejar a morte da menina. O delegado Rodrigo Spiça disse que as investigações coincidiram com a confissão de Diego. Na ocasião, Diego disse que ajudou na ocultação do corpo, mas que não matou a jovem.

Diego de Sá Parente, 26 anos, e Ismael José da Silva, 35 anos, foram indiciados pela Polícia Civil de Cerejeiras no dia 20 de junho, por homicídio qualificado, com quatro qualificações: motivo fútil, meio cruel, recurso que dificultou a defesa da vítima e feminicídio.

Leia: Namorado e primo são indiciados por homicídio e ocultação de cadáver

Os dois estão presos desde 25 de abril e com o indiciamento a justiça converteu a prisão temporária em prisão preventiva no dia 21 de junho.

 

O CRIME

Na noite de segunda-feira, 24 de abril, o corpo de Jéssica foi encontrado dentro de um saco na cidade de Cerejeiras, nos fundos de uma igreja localizada no bairro Campo Internacional, nas proximidades da empresa Cargil. Ela estava desaparecida desde o dia 20 daquele mês.

Segundo denúncia apresentada pelo MP, a garota foi morta com 13 facadas.

 

Leia mais

Advogada pede revogação da prisão de Ismael e diz que irá “provar a inocência” dele

 

 

FONTE: VILHENA NOTÍCIAS

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.