EcoMassa


      Notícia publicada às 22:59:46 - 20/04/2017 e lida: 1461 vezes   
    
  
  
Polícias apuram chacina por conflito agrário em vilarejo ilegal de Colniza
O que se sabe até o momento é que a região em questão não se trata de um assentamento legalizado, e é denominado como Taquaraçu do Norte

Polícias apuram chacina por conflito agrário em vilarejo ilegal de Colniza
Polícias apuram chacina por conflito agrário em vilarejo ilegal de Colniza
Foto: Reprodução

Por
Redação

Equipes das polícias Civil e Militar se deslocam na tarde desta quinta (20), para um vilarejo a 210 km de Colniza no Mato Grosso (a 552 Km de Vilhena) para verificar uma denúncia de que seis a 10 pessoas teriam sido mortas. A reportagem do RDnews entrou em contato com a Polícia Civil, que informou que as equipes ainda estão em diligência no local e somente para apurar as mais informações sobre o caso.

A informação quanto à verificação é do Comando Regional VIII da Polícia Militar. Ainda segundo a PM, uma equipe do Grupo de Operações Especiais de Rondônia, também teria se deslocado para a região, que é famosa por ser palco de uma série de conflitos agrários.

Conforme a Polícia Civil de Colniza, pelo menos 120 famílias moram no assentamento há cerca de 12 anos. As informações ainda são extraoficiais de que homens encapuzados fortemente armados mataram vários assentados e ainda não é possível precisar quantas pessoas teriam sido executadas. Segundo os investigadores, o número pode ser muito maior. 

O que se sabe até o momento é que a região em questão não se trata de um assentamento legalizado, e é denominado como Taquaraçu do Norte. Em 2011, mais de 700 pessoas foram expulsas da região.

Investigações da Polícia Civil realizadas há dois anos apontaram que os gerentes das fazendas comandavam uma rede de capangas, altamente armados, que usavam do terror na região para que a área fosse desocupada e o caminho ficasse livre para o escoamento da produção.

 

 

 

FONTE: RDNEWS

ACESSE GANHE

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.