EcoMassa


      Notícia publicada às 08:52:05 - 30/03/2017 e lida: 929 vezes   
    
  
  
Deputado denuncia “indústria da multa” da PRF na BR-364
Somente este ano já foram multados 1996 veículos, com uma arrecadação superior a R$ 255 mil.

Deputado denuncia “indústria da multa” da PRF na BR-364
Deputado denuncia “indústria da multa” da PRF na BR-364
Foto: Renato Spagnol

Por
Assessoria

O deputado Ezequiel Junior (PSDC), ao usar a Tribuna da Assembleia Legislativa na quarta-feira, 29 de março, disse estar revoltado com o anúncio da Polícia Rodoviária Federal – PRF, de que somente este ano, 1996 veículos foram multados na BR-364 pela falta de farol baixo. Ezequiel disse que a lei, além de imoral, não tem uma contrapartida pra a população que usa a rodovia.

Segundo o relatório da PRF, com essas 1996 autuações, 156 por abordagem e 1.810 sem abordagem, foi feita uma arrecadação de R$ 255.894,00. Se a rodovia estivesse em boas condições, sem buracos, sem o mato cobrindo as placas, até que poderiam dar a desculpa de que as multas estariam servindo para os usuários - disse Ezequiel.

O parlamentar afirmou que a direção da Polícia Rodoviária Federal no Estado deveria ter vergonha de fomentar a indústria da multa, que nada mais serve do que meter a mão no bolso do contribuinte.

Junior terminou dizendo que não existe a sinalização exigida para o uso do farol, e que nem na área urbana de Porto Velho existe iluminação, e que a BR-364 em Rondônia está parecendo o solo lunar de tantas crateras, com vidas se perdendo e a PRF se preocupando em faturar.

 

 

 

FONTE: Assessoria de Imprensa

ACESSE GANHE

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.