Notícia publicada às 15:30:58 - 11/11/2016 e lida: 3149 vezes   
    
  
  
Maria José da Farmácia é novamente presidente da Câmara de Vilhena
Ela ficou no cargo até o dia 1º de novembro, quando o vereador Célio Batista (PR) foi eleito presidente por seus pares. Assim, Maria José permaneceu como 1ª secretária.

Maria José da Farmácia é novamente presidente da Câmara de Vilhena
Maria José da Farmácia é novamente presidente da Câmara de Vilhena
Foto: Assessoria

Por
Redação

Em apenas duas semanas, a vereadora Maria José da Farmácia (PSDB) assumiu e reassumiu a presidência da Câmara de Vilhena.

Isto ocorre porque, com o afastamento do cargo por decisão judicial dos vereadores Junior Donadon (PSD) e José Garcia (DEM), que eram presidente e vice, respectivamente, Maria José assumiu a vaga no dia 24 de outubro passado. 

Ela ficou no cargo até o dia 1º de novembro, quando o vereador Célio Batista (PR) foi eleito presidente por seus pares. Assim, Maria José permaneceu como 1ª secretária.

Porém, na manhã desta sexta-feira, 11, Célio Batista renunciou ao cargo de presidente do Legislativo e tomou posse como prefeito em exercício de Vilhena. Isto deve-se ao também afastamento por determinação da justiça do prefeito Zé Rover (PP) e do vice-prefeito Jacier Dias (PSC).

Sendo assim, Maria José reassumiu automaticamente a presidência do Legislativo até o dia 31 de dezembro.

A questão política atípica em Vilhena acontece devido às investigações da Polícia Federal que descobriu crimes administrativos envolvendo vários vereadores da atual legislatura, além do prefeito e do vice.

Os vereadores Hernando Lucena (PTB), Francis Godoy (PSC),Valdete Savaris (PPS), Leninha do Povo (PTB), Vera da Farmácia (PMDB) e Heloisa Bueno (PTdoB) hipotecaram apoio à colega pra conduzir os trabalhos do parlamentar com tranquilidade, dedicação e melhorias para o município de Vilhena.

 

 

FONTE: Assessoria

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.