Notícia publicada às 11:51:11 - 10/11/2016 e lida: 4690 vezes   
    
  
  
Zé Rover administrava organização criminosa que desviou cerca de R$ 5 milhões
Em coletiva de imprensa na Polícia Federal, foram cedidas explicações sobre a prisão e os esquemas de corrupção.

Zé Rover administrava organização criminosa que desviou cerca de R$ 5 milhões
Zé Rover administrava organização criminosa que desviou cerca de R$ 5 milhões
Foto: Thalita Defacci

Por
Thalita Defacci

Nesta manhã de quinta-feira, 10 de novembro, o prefeito afastado da cidade de Vilhena José Luiz Rover (PP) foi preso após a Polícia Federal deflagrar a Operação Áugias que é um desdobramento direto nas operações Stigma e Ficus deflagradas no período de dois anos, desvendando esquemas de corrupção nos poderes Executivo e Legislativo da cidade.

Ainda na manhã da prisão do prefeito afastado, as autoridades cederam entrevista coletiva na Polícia Federal explicando a prisão e como funcionava o esquema de corrupção na prefeitura. Estiveram presentes Elício de Almeida e Silva que é promotor do Ministério Público Estadual de Rondônia – MPE, Flori Cordeiro de Miranda Júnior delegado regional da Polícia Federal de Rondônia e Cláudio Wolff Harger, procurador de justiça do MPE.

As investigações estão ocorrendo desde o ano de 2015 com a participação da Polícia Federal, através das Delegacias Regionais juntamente com o Ministério Público Estadual e Ministério Público Federal, na tentativa de desvendar esquemas realizados pela administração municipal.

Neste mês de novembro do ano de 2016, a investigação concluiu que o prefeito estava em posse de provas de interesse da investigação, o que culminou na sua prisão preventiva. As operações desvendaram esquemas em diversos parâmetros dentro da cidade, e através das investigações se conclui que o prefeito José Luiz Rover era chefe organização criminosa e vai responder pelos crimes de responsabilidade, lavagem de capital, crimes contra a administração, falsidade ideológica e pagamento de propinas. Até agora, sabe-se que aproximadamente R$ 5 milhões foram desviados.

O delegado Flori Cordeiro de Miranda Júnior exemplificou o esquema citando que: “Basicamente, a prefeitura municipal de Vilhena, não contrata ninguém e não paga ninguém sem que houvesse uma porcentagem de propina pro sujeito que estaria efetivando o serviço. Na data de hoje três núcleos foram identificados sendo a secretaria de obras, a secretaria de comunicação, e empresas de prestação de serviço de informática.” Relatou.

Desde a operação Stigma deflagrada em 2015, aproximadamente 15 envolvidos nos esquemas de corrupção da prefeitura e da câmara de vereadores foram presos pela Polícia Federal, sendo que dois vereadores ainda se encontram foragidos e receberam seus mandados de prisão na operação Tropa de Choque. Segundo as autoridades, as investigações continuam para buscas de documentação e mais envolvidos.

Zé Rover administrava organização criminosa que desviou cerca de R$ 5 milhões

Coletiva na sede da Polícia Federal.

Zé Rover declarou que estava a disposição da justiça no momento em que era conduzido até a PF.

 

FONTE: Vilhena Notícias

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.