Notícia publicada às 10:35:53 - 02/11/2016 e lida: 4773 vezes   
    
  
  
Em Vilhena servidores irão aderir à greve e paralisação nacional do funcionalismo público
Os servidores deliberaram por aderir ao movimento que ocorrerá em diversos municípios da federação em uma assembleia realizada nesta segunda-feira, 31 de outubro na sede do Sindicato.

Em Vilhena servidores irão aderir à greve e paralisação nacional do funcionalismo público
Em Vilhena servidores irão aderir à greve e paralisação nacional do funcionalismo público
Foto: Sindsul

Por
Renato Spagnol

O Sindicato dos Servidores Municipais do Cone Sul de Rondônia – Sindsul, enviou um ofício ao prefeito de Vilhena, José Luiz Rover (PP), comunicando que os servidores municipais irão aderir à greve e paralisação nacional do dia 11 de novembro, sexta-feira.

Os servidores deliberaram por aderir ao movimento que ocorrerá em diversos municípios da federação em uma assembleia realizada nesta segunda-feira, 31 de outubro na sede do Sindicato.

A entidade realizou em 22 de setembro uma paralisação. Na ocasião o presidente do Sindsul Wanderley Ricardo Campos disse que os movimentos de paralisação que ocorrem em todo o país são em decorrência de Projetos de Leis – PL, que limitam totalmente os diretos dos servidores públicos, estaduais, municipais e federais, estão para serem aprovadas no Congresso Nacional. “Nós decidimos aderir à paralisação para mostrar que o servidor público não irá ficar parado diante destas propostas que acabam com os diretos adquiridos ao longo de muitos anos”, disse Campos.

Leia: Professores e servidores municipais aderem ao Dia Nacional de Paralisação

Confira o comunicado:

Em Vilhena servidores irão aderir à greve e paralisação nacional do funcionalismo público

Assembleia na sede do Sindicato reuniu filiados.

 

FONTE: VILHENA NOTÍCIAS

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.