Notícia publicada às 08:00:39 - 25/10/2016 e lida: 16889 vezes   
    
  
  
Alunos com notas baixas tem os nomes enviados ao Ministério Público e pais se assustam com a medida da escola Machado de Assis
Por se tratar de um órgão superior, gerou susto e descontentamento com a escola por parte de pais dos alunos.

Alunos com notas baixas tem os nomes enviados ao Ministério Público e pais se assustam com a medida da escola Machado de Assis
Alunos com notas baixas tem os nomes enviados ao Ministério Público e pais se assustam com a medida da escola Machado de Assis
Foto: Thalita Defacci

Por
Thalita Defacci

Bilhetes de comunicado comportamental não são novidade para os pais por alunos de algumas escolas públicas. Geralmente, conversas abundantes, alteração de humor e baixo rendimento escolar são situações sempre alertadas aos responsáveis pela orientação de instituições de ensino, principalmente fundamental.

Na última semana, alguns pais ficaram preocupados com um bilhete que receberam informando que uma relação com o nome dos alunos que apresentaram baixo rendimento nas notas estaria seria enviado até a Promotoria de Justiça de Vilhena. O caso aconteceu na escola Machado de Asssis.

“Senhores Pais, Mães ou Responsáveis, informamos que estamos enviando a Promotoria de Justiça, relatório com nomes dos alunos com baixo rendimento/fraco desempenho nos estudos para conhecimento por este órgão. Nesse relatório consta o nome do vosso filho/a, pois o mesmo/a apresenta um aproveitamento muito abaixo da média. Estamos à disposição para eventuais dúvidas ou esclarecimentos.
Att. Equipe Gestora”. Dizia o comunicado.

A medida adotada dividiu opiniões. Três responsáveis por alunos que preferiram não se identificar relataram quais foram as reações quando receberam o bilhete.

Dona C., mãe de um aluno do 7º ano contou que se assustou muito quando percebeu que o filho estava com o nome encaminhado para a Promotoria. “Eu liguei na escola, perguntando o que meu filho tinha feito de tão grave assim! Fiquei preocupada e ele assustado”.

Já, dona A., mãe de uma aluna do 6º ano achou a medida válida e até elogiou a escola por estar unida ao Ministério Público. “E quando nem a gente sabe o que fazer com o filho? Pelo menos ela deu uma acordada pra vida. Agora tá querendo se explicar.”

Por fim, J., pai de um aluno do 8º ano do ensino fundamental argumentou que a escola deveria ter feito reunião antes de enviarem um bilhete deste procedimento, pois existem muitos pais que não são acostumados com o trabalho de um juizado e acabam entrando em pânico. “Olha, eu acho a iniciativa bacana, se não me engano isso já deveria estar sendo feito há algum tempo atrás pois a escola precisa de amparo quanto às solicitações e encaminhamentos realizados, até para auxílio na orientação educacional. Mas, por se tratar de uma escola pública, que atende muitas crianças de baixa renda, deveriam ter realizado uma reunião de pais antecipada para apresentar o real motivo do encaminhamento. Tem muita gente leiga quando se trata de justiça, e aí acabam entrando em pânico a ponto de cometer uma besteira com o filho, neto etc.”.

A reportagem do VILHENA NOTÍCIAS entrou em contato com a direção da escola que explicou a situação e também alegou que a medida foi tomada através de um ofício do Ministério Público.

“O ofício chegou até a escola e estamos recebendo todo o amparo por parte do Juizado e também atenção da promotora da curadoria da infância e juventude, Yara Travalon Viscardi. O que os pais não entendem é que essa medida é uma proteção a mais para a escola e para os alunos. É um registro oficial para amparar as decisões da nossa instituição”, relatou o diretor Paulo.

A relação de nomes é enviada apenas para registro, caso o aluno apresente evasão ou baixo rendimento escolar, porém, a direção deixa esclarecido que outras medidas serão tomadas caso o aluno precise de uma atenção maior.

A escola também se manifestou dizendo que está aberta para qualquer esclarecimento com os pais e que a preocupação maior é zelar pela qualidade na educação, como foi feito desde o princípio da criação da instituição.

 

 

FONTE: Vilhena Notícias

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.