Notícia publicada às 16:34:53 - 10/08/2016 e lida: 738 vezes   
    
  
  
TJ nega redução de pena a acusado de matar marido da amante, em RO
Casal de amantes matou idoso com pauladas e pedradas em Colorado (RO). Réu admitiu o crime, mas não se conformou com a pena recebida.

TJ nega redução de pena a acusado de matar marido da amante, em RO
TJ nega redução de pena a acusado de matar marido da amante, em RO
Foto: Reprodução

Por
Redação

O Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO) negou o pedido de redução de pena a Paulo Alex Ferreira, condenado a 21 anos e 4 meses por ter assassinado e escondido o copo do marido da amante, em Colorado do Oeste (RO), no Cone Sul. De acordo com investigações da Polícia Civil, Paulo mantinha um relacionamento amoroso com Valdereis Aparecida Silva de Souza. No entanto, a mulher era casada com Ubaldino Kanoff.  Para ficarem juntos, Paulo e Valdereis mataram Ubaldino a pauladas e pedradas, em fevereiro do ano passado. Ela foi condenada a 18 anos e 5 meses de reclusão.

Conforme o TJ-RO, Paulo admitiu o crime, mas não se conformou com a pena recebida. A apelação foi julgada pela 2ª Câmara Criminal do TJ-RO, no fim do mês passado, mas a condenação do réu foi mantida. Segundo a decisão colegiada, a quantidade da pena está dentro da proporcionalidade, em observância ao Código Penal.

Ainda conforme a decisão da Câmara, foram considerados, entre outros, o recurso que dificultou a defesa da vítima, a culpabilidade e personalidade do acusado. Além disso, também foram analisados os motivos, circunstâncias e consequências do crime, bem como o relacionamento amoroso de Paulo e Valdereis.

A reportagem ligou para o advogado de Paulo, mas ele não atendeu às ligações. Paulo e Valdereis foram condenados pelo Tribunal do Júri e cumprem pena na Casa de Detenção de Colorado do Oeste.

Crime

O corpo de Ubaldino Kanoff foi encontrado no dia 17 de fevereiro de 2015, enterrado em uma propriedade rural de Colorado do Oeste, às margens de uma estrada, distante cinco quilômetros do local do crime.

Conforme as investigações da polícia, o produtor foi morto no dia 15 do mesmo mês. Paulo usou um pedaço de madeira para golpear a cabeça da vítima, que teria sido estrangulada na sequência. O produtor rural não morreu com a pancada e se levantou do chão. O acusado então desferiu mais um golpe na vítima, arrastando-a depois para fora da residência, onde acertou a cabeça do produtor várias vezes com uma pedra.

A mulher alegou à polícia na época que, enquanto o amante golpeava o marido, pegou uma espingarda em um dos cômodos da casa e se escondeu em um barracão, onde são guardados equipamentos agrícolas. A acusada contou que saiu do local após ver que o esposo tinha sido assassinado. O casal de amantes colocou o corpo da vítima na carreta de um trator e foi até uma estrada da fazenda. Às margens da via, os dois suspeitos cavaram um buraco e enterraram o produtor rural.

No dia 16 de fevereiro de 2015, um primo comunicou os policias sobre o desaparecimento de Ubaldino. Questionada sobre o sumiço, Valdereis teria dito aos familiares da vítima que o marido havia saído com uma pessoa não identificada e que não havia retornado para casa.

Depois disso, em depoimento à polícia, a mulher acabou se contradizendo sobre o desaparecimento e confessou o homicídio, afirmando ter contado com a ajuda do amante.

Segundo informações levantadas pela Polícia Civil, o principal motivo para o assassinato seria a relação amorosa entre os acusados, que, ainda no dia do crime, já teriam dormido juntos e até feito planos de casamento.

 

 

FONTE: G1

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.