Notícia publicada às 13:12:15 - 29/04/2016 e lida: 23546 vezes   
    
  
  
Morte de Rafel Bristotti não foi em decorrência do H1N1 aponta exame
Jovem faleceu no último dia 13 de abril.

Morte de Rafel Bristotti não foi em decorrência do H1N1 aponta exame
Morte de Rafel Bristotti não foi em decorrência do H1N1 aponta exame
Foto: VN

Por
Renato Spagnol

O diretor do Hospital Regional Adamastor Texeira de Oliveira de Vilhena, Faiçal Ibrahim Akkari confirmou à reportagem do VILHENA NOTÍCIAS, na manhã desta sexta-feira, 29 de abril, que a morte do jovem de 19 anos, Rafael Bristotti se deu em decorrência da doença bacteriana Leptospirose ou mal de Adolf Weil.
 
Rafael faleceu no último 13 de abril, na Unidade de Terapia Intensiva - UTI do Hospital Regional. Dentre as suspeitas da causa da morte, estavam a H1N1 e também a Leptospirose e segundo o diretor do hospital, os médicos medicaram o jovem também para a doença que causou a morte. Na época a família chegou a acusar o hospital de negligência e uma coletiva de impresa com a junta médica da unidade hospitalar foi realizada na sexta-feira, 15 de abril.
 
O resultado do exame que apontou a causa da morte de Rafael foi emitido pelo laboratório no dia 20 e com isso diminui o número de suspeitas de mortes por H1N1 em Vilhena. A direção do Hospital aguarda o resultado dos exames dos pacientes que faleceram com suspeita de H1N1. 

 

FONTE: VILHENA NOTÍCIAS

 

 


 


 

 COMENTÁRIOS
 

ATENÇÃO: Comentários ofensivos e que façam a apologia a crimes serão ocultados. O internauta do VILHENA NOTÍCIAS que se sentir ofendido pode requerer a ocultação do comentário. A Constituição Federal permite a publicação do livre pensamento de qualquer cidadão, desde que não seja de forma anônima, por isso, comentários provenientes de perfis "fake" ou "falsos" podem ser ocultados e bloqueados. Comente, compartilhe sua opinião, mas de forma moderada.